segunda-feira, 14 de abril de 2008

COCTEAU TWINS - PARA AQUELES QUE QUEREM MUDAR ALGUMA COISA


O que são palavras? William Burroughs, o poeta e escritor americano, pioneiro da cultura beat, sustenta a tese de que a linguagem é um vírus desenvolvido na aurora do ser humano. Para rechear canções, é necessário usar palavras? Nem sempre. O grupo escocês Cocteau Twins resolveu experimentar outros modos de expressão, através das cordas vocais, que não precisam ser necessariamente palavras com sentido, como todo mundo conhece e usa. Por que não apenas fonemas com sonoridades musicais? A voz da cantora Elisabeth Fraser faz isso. Emite sons e fonemas que não fazem parte de língua nenhuma, mas ao mesmo tempo é um resgate também de palavras interessantes de serem pronunciadas.
Surgido em 1982, o Cocteau Twins foi, ao lado do Bauhaus, o grupo que consolidou a gravadora independente inglesa 4AD. Com o nome retirado de uma antiga canção do Simple Minds (e não homenageando o poeta e cineasta Jean Cocteau), o Cocteau Twins propõe uma música nova - que pode ser apreciada em "Treasure" (RCA), sétimo álbum do grupo, primeiro a chegar no Brasil. São dez faixas, com títulos estranhos - "Lorelei", "Persephone", "Pandora", "Aloysius", "Beatrix" etc. - que devem serem ouvidos com atenção, "capazes de levar todos os ouvintes a um longo passeio por locais desconhecidos, uma zona que só se encontra através de espelhos, como aquela em que Orfeu, um dia, percorreu, apaixonado e enfeitiçado".
Uma pergunta: Artistas de teatro deveriam conhecer Cocteau Twins, ou somente MPB basta?
Veja o Vídeo de "Carolyn's Fingers" via You Tube


Para você entender melhor, veja o vídeo de "Crushed"


Minha direção teatral não é tão viceral quanto este som, mas tem grandes e visíveis influências e isso só pode notar quem entende do resto.

Até a próxima amigos.

Um comentário:

Gabi's disse...

Cocteau Twins é muito bom^^