sexta-feira, 19 de maio de 2017

NEAC - A CARA DO POVO - GUSTAVO FREITAS

Nesse post vamos ler um pouco sobre o Divo e Místico Gustavo Freitas. Ele veio acompanhado de um texto maravilhoso e de uma história muito bacana. La vai.


Oi pessoal! Sou Gustavo Freitas, ou Gu, como me conhecem também!  Comecei no teatro aos 16 anos no NEAC. Há mais de 11 anos faço parte do grupo, participando de grandes projetos como: Grease, Ópera do Malandro, o Bem Amado, Hair, Auto da Compadecida, vários projetos de minimalismo, entre muitos outros, somando mais de 50 espetáculos nesse tempo. Destaque para as obras de Nelson Rodrigues, um dos meus maiores presentes: O beijo no asfalto, Perdoa-me por me traíres e os Sete Gatinhos. Outro grande presente foi a apresentação de alguns textos e adaptações minhas como: A Usurpadora Cover, O amor de Lisbela, O funeral, Meu Pé de Laranja Lima, entre outros. Um dos momentos que mais me marcaram foi a homenagem para o Jorge, com a música do Marcelo Jeneci. Sou muito grato a tudo que aprendi e aprendo no Neac e levo comigo as amizades mais raras que tenho, grande parte dos meus amigos eu conheci no NEAC. Um espaço de arte, amor e carinho. Que venham mais e mais décadas juntos! Obrigado por tudo, Markus!

"Lado a lado com a espécie humana corre outra raça de seres, os inumanos, a raça dos artistas que, incitados por desconhecidos impulsos, tomam a massa sem vida da humanidade e, pela febre e pelo fermento com que a impregnam, transformam a massa úmida em pão, e o pão em vinho, e o vinho em canção. Do composto morto e da escória inerte criam uma canção que contagia. Vejo esta outra raça de indivíduos esquadrinhando o universo, virando tudo de cabeça para baixo, os pés sempre se movendo em sangue e lágrimas, as mãos sempre vazias, sempre se estendendo na tentativa de agarrar o além, o deus inatingível: matando tudo ao seu alcance que lhe rói as entranhas (...) Um homem que pertence a essa raça precisa ficar em pé no lugar alto, com palavras desconexas na boca, e arrancar as próprias entranhas. É certo e justo, porque ele precisa! E tudo quanto fique aquém dessa aterrorizador espetáculo, tudo quanto seja menos sobressaltante, menos petrificante, menos louco, menos delirante, menos contagiante, não é arte. O resto é falsificação. O resto é humano. O resto pertence à vida e à ausência de vida."
(...)
Henry Miller

Gustavo ama esta música: The Gift - Gaivota | Projeto Amália Rodrigues


Difícil dedicar algo para o Gu, muito inteligente ele. Mas a Judite é danada e vai de cara deixar pra ele uma música da mesma banda The Gift, mas que ele não conhece e que só saiu em uma coletânea. Uma pena porque é uma das mais lindas deles. A Sonia esta linda como sempre e a musica é algo além do que podemos imaginar. Com você amigo: The Gift - Clássico.


Não existem mais letras. Só existe essa agora.
Judite chora insone.

Cheirosos da vez: Luiza Casada e Rafa
Sonho: Ver o Circuito Montado.
Saudade: Jorge
Medo: Política.
Alegria: Inverno chegando.

Bjos de uma Judite que também sonha acordada.


3 comentários:

Gabriel Santiago disse...

Travecona Queen do NEAC kkkkkkkk' Maior traveca que você respeita! #GuhMelhoras

estranho disse...

Perdi tanto tempo criando picuinhas com o Guuh que perdi um amigo em potencial, mas o tempo é melhor amigo de todos.
Um coração incrível, uma pessoa boa e grande traveca do neac.
D.

Rafael Castro disse...

Eterna Adele do Neac...
A trava que todos respeitam.
Ótima pessoa. Grande coração.